Planejamento da obra

 

          Primeiramente fica-se sabendo do cliente a qual aplicação se destina a estrutura, para saber se haverá ataques de ataques de gases na estrutura ou não. Se haverá vibrações. Se a estrutura ficará exposta ao tempo etc.

          Depois é preciso conhecer o local onde ela será construída, para saber se o local é descampado deixando a cobertura exposta à força de ventanias, ou se ela ficará cerdada de outras construções que reduzem a ação dos ventos.

          Outras coisas devem ser consideradas, como por exemplo o tipo de solo. Se é argiloso, arenoso etc. Se haverá fontes de calor, como fornos próximos à estrutura, que possam provocar dilatações. Como deverão ser as condições de ventilação, e assim por diante.

          Então faz-se o esboço. Ele consiste no delineamento inicial. Rabiscos orientados nas considerações expostas acima.

          Passa-se então à fase do projeto, na qual elabora-se a planta baixa. Na planta baixa indicam-se as paredes, as janelas e portões, as posições das colunas e, também, tudo que se fará no piso, os cortes (um ou dois são suficientes, na maioria dos casos) . Desenha-se cada corte, em separado, contendo as informações que forem necessárias para uma melhor compreensão da obra.

          Só por último é que se desenha a estrutura como se o observador a visse por cima; se detalhamentos forem necessários estes serão em desenhos ampliados.

          Uma vez terminada a fase de planejamento passa-se à fase de cálculo das forças externas que agirão na estrutura metálica.